quarta-feira, 31 de agosto de 2016

Cães de raça estão morrendo cedo, e só os criadores podem mudar isso

Acabo de ler um texto da expert Carol Beuchat, fundadora do Institute of Canine Biology, que resolvi traduzir pra que essa informação alcance mais pessoas. É uma informação especialmente muito importante para criadores de cães.


Se foi cedo demais? Já basta. 

Minutos atrás, meu amigo acabou de perder o amado cão para o câncer. Aos 7 anos de idade. Isso é apenas metade de uma vida para um cão.

É devastador. Pior ainda, para esta raça (Flat Coated Retriever) tornou-se previsível. Cada proprietário desta raça sabe que há uma boa chance de que exista uma bomba relógio no cão da família.

Eu operei meu pulso direito na semana passada e é difícil para escrever, ou eu, sem dúvida, colocaria pra fora outro discurso como o que escrevi sobre Dobermans caindo mortos, há algumas semanas. Eu não posso fazer isso hoje. Mas ainda tenho algo a dizer.

Criadores provavelmente vão declarar que estão determinados a derrotar esse câncer. Eles vão pagar por mais pesquisas sobre tratamentos, eles vão financiar pesquisas para os genes problemáticos, eles vão apoiar estudos que esperam identificar fatores ambientais que podem estar envolvidos. Até agora, nós não aprendemos nada que vá reduzir a probabilidade de um cão ser diagnosticado com câncer nos seus primórdios, nesta raça ou em qualquer outra. O problema é simples. Endogamia (Inbreeding) e perda da diversidade genética necessária para produzir cães saudáveis. Nós quebramos o cão.

Aqui está a verdade. Nós não precisamos de mais pesquisas sobre o câncer. Nós gostaríamos que o câncer fosse uma daquelas coisas que nunca temos que nos preocupar, como pegar uma doença de pele de um camelo. Você não deveria ter que saber nada sobre câncer se você quiser trazer um novo cão para sua família e, de fato, o proprietário de um animal de estimação em geral não sabe. Mas os criadores sabem com certeza. Ele (o câncer) "vem com a raça".

Quando vamos declarar que já basta? A endogamia (inbreeding) está matando nossos amados cães de raça pura, em dezenas de formas específicas conforme a raça. Como é possível que, fazer algo para corrigir isso, seja pior do que a dor de centenas de corações partidos? Como podemos afirmar que somos criadores "responsáveis" mas não ficamos horrorizados com o fato de que podemos predizer a morte prematura dos cães que criamos?

Algo está muito, muito errado quando o que precisa ser feito é tão óbvio, mas "boa sorte para conseguir que os criadores façam isso". Os cães escolheram se juntar a nós dezenas de milhares de anos atrás, em uma parceria notável. Cães são verdadeiramente um presente de Deus para a humanidade. Se não fosse por eles, a trajetória da civilização seria muito diferente. O que seria de nós sem cães? Como seria sua vida sem cães?

Eu estou muito, muito triste. E muito, muito brava. Todo mundo oferece condolências. "Eles nunca ficam conosco o tempo suficiente", e "Eu sinto sua dor", e "Lembre-se das memórias maravilhosas". E eu também sinto muito, muito mesmo. Mas caramba, ISSO NÃO ESTÁ CERTO.

Apenas os criadores podem corrigir isso. Já basta. Façam algo.

Descanse em paz, doce Fabes. Nós TEMOS que fazer melhor. ISTO NÃO É CERTO. Eu não vou deixar que te esqueçam.


Por Carol Beuchat PhD - Institute of Canine Biology


O texto original se encontra nesse link:

2 comentários:

  1. Acho que você podia colocar o crédito do Intitute of Canine Biology.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Adicionei essa informação, não havia colocado porque a Carol É o ICB e o ICB é a Carol, é um projeto dela. Ela inclusive oferece cursos básicos gratuitos e sempre faz turmas pra cursos online de temas mais avançados.
      Aproveitei pra adicionar a foto do texto original, pois ontem não consegui.

      Excluir